Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Há elogios por dar nas escolas.

por Maria Joana Almeida, em 30.11.15

 

Há umas semanas atrás, na data da publicação do texto “Seis medidas”, um amigo perguntou-me se poderia usar o meu texto quando se falasse sobre educação. Fiquei muito feliz (não somente pelo privilégio normal que se sente quando as nossas palavras fazem sentido) mas principalmente por sentir que este pequeno espaço pode ajudar a refletir mais em torno destas questões. 

 

Quem costuma seguir este espaço conhece a filosofia subjacente e começa a conhecer a minha visão sobre educação. Conhece também aquilo que considero educar com afeto, que não tem nada a ver com facilitismo, ou atitudes “desregradas”, mas sim agir com respeito colocando os limites necessários sempre de uma forma sentida.

 

Não querendo esgotar os textos apenas neste paradigma não consegui não deixar de escrever acerca de um vídeo que gentilmente um outro amigo (que não é do mundo da educação) me deu a conhecer. Um vídeo que mostra um professor que todos os dias gasta 10 minutos do seu tempo a elogiar os seus alunos, um por um, verbalizando diretamente o seu pensamento em relação a cada um e qual a sua importância na turma. No vídeo podemos ler as seguintes palavras do professor:

Apresentação1.jpg

 Fonte: https://www.facebook.com/abcnews/videos/10153905761913812/?__mref=message_bubble

 

Todas as crianças merecem sentir-se aceites neste mundo. Em vez de me focar nas dificuldades de cada um eu foco-me no talento de cada um. Em vez de falar acerca de amor e paz eu promovo –o nas minhas ações. A realidade de uma criança é formada ao longo das suas vivências. Se eles tiverem professores maus e amargos eles vão pensar que o mundo é mau e “amargo”. Pelo contrário se um professor promove o amor, a harmonia e paz essa torna-se a norma.

Depois de algumas semanas desta prática os meus alunos começaram a elogiar-se mutuamente ficando satisfeitos pelos objetivos que os colegas conseguiam alcançar como se fossem seus. Eles não se insultam e  tentam, ativamente, sempre ajudar os colegas.”

 

Não poderia estar mais de acordo com estas palavras subescrevendo-as na íntegra. As repercussões do elogio são facilmente adivinhadas por todos. O sentir que se é querido num lugar, que fazemos falta e que somos uma peça importante do grupo é, não só meio caminho andando para o sucesso, mas também (e este vídeo menciona-o) uma forma de repercutimos este comportamento com os outros. O que considero mais curioso e fundamental é a forma como o professor verbaliza as suas palavras com os seus alunos. Não há condescendência, há assertividade. Não há o elogio gratuito, mas o elogio consistente e sentido porque não há nada mais constrangedor e facilmente interpretado por um aluno do que um elogio forçado, sem sentido e sem eco.

 

Este vídeo fez-me recordar um texto que li há algum tempo num blog, para mim de eleição: “Humans of New York”. Um aluno de uma escola considerada problemática foi entrevistado sobre quem é que ele considerava ser a pessoa mais influente da sua vida. Ele respondeu que era a diretora da sua escola “Mrs. Lopez” e passo a traduzir: “Porque sempre que nos metemos num problema na escola ela não nos suspende. Ela chama-nos ao seu gabinete e explica que a sociedade também se constrói connosco e que cada vez que algum de nós falha na escola, uma nova cela numa prisão é construída. Um dia, ela pediu que todos os alunos se levantassem e disse, a cada um de nós o quanto nós eramos importantes e precisos na escola.”

 

 

NY.jpg

Fonte: http://www.humansofnewyork.com/post/108621363306/whos-influenced-you-the-most-in-your-life-my

 

Deverá ter sido dos testemunhos mais inspiradores. Não só por ter sido da voz de um aluno, mas por sentir que aquilo em que acredito e as palavras que vão sendo escritas neste blog são possíveis e existem.

 

Na realidade vivemos muito ocupados, todos os dias ocupados, com papéis, com grelhas, com computadores, com telemóveis, com horários, com a avaliação, com as metas e esquecemo-nos de algo tão simples como fazer sentir o quanto as outras pessoas são importantes para nós e deverão ser para elas mesmas. Não existe nada mais penoso e doloroso do que não sentir uma aprovação. Viver sem aprovação, é como viver sem futuro, sem conseguir caminhar para um objetivo.

 

Recordo-me de uma reunião no ano passado, reunião de conselho de turma, onde se discutia o que deveria ser feito com um aluno que perturbava a aula. Todos os professores se queixavam da dificuldade em lidar com esta situação chegando a verbalizar “Não posso perder tempo com isto”.

 

A verdade é que ganhamos muito mais do que podemos imaginar quando “perdemos” 10 minutos do nosso tempo à procurar do talento em vez das dificuldades, ao elogiar (com o equilíbrio necessário) em vez de criticar e ao fazer sentir que aquela pessoa é importante em vez de desistir.

 

E obrigada ao Gonçalo por me ter mostrado este vídeo. É gratificante sentir que mesmo não sendo a sua área, as pessoas gostam de partilhar artigos/vídeos que acham que vou gostar ou ajudar. E isto é, para mim, um dos melhores elogios.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:25



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D